(14) 3814-3272
  • Português
  • English
  • Español

Notícias

Segurança de alimentos torna-se decisiva no mercado mundial de alimentos

Empresas de certificação de renome treinam as equipes e se preparam para atender consumidores internacionais ainda mais exigentes, principalmente depois da pandemia da Covid-19

Investir cada vez mais na segurança dos alimentos no Brasil e no mundo, um conceito que ganhou força nos últimos anos e promete ser um dos maiores desafios da era pós-pandemia da Covid-19.  Este foi o principal objetivo do Serviço Brasileiro de Certificações (SBC), empresa especializada em auditar protocolos que tragam mais segurança e comprometimento da cadeia agropecuária brasileira com o consumidor, ao promover um treinamento de auditor interno especial de três dias para seus auditores, envolvendo a Norma BRCGS. O Padrão Global da Brand Reputation through Compliance (BRCGS) para Segurança de Alimentos foi criado na Inglaterra, em 1998, para garantir a conformidade do fornecedor e assegurar a capacidade das distribuidoras de manter a qualidade e segurança dos produtos alimentícios que elas vendem. Hoje, ele é utilizado no mundo inteiro como uma estrutura de trabalho para qualquer empresa (distribuidoras e processadoras) e auxilia na produção de alimentos seguros e na seleção de fornecedores confiáveis.

As normas envolvem uma extensa gama de alimentos, como bolachas, carnes, lácteos, frutas, legumes, verduras, óleos, grãos, entre outros. “É um selo muito conhecido, uma verdadeira referência para quem deseja ter o protocolo ou realizar auditorias internas. O BRCGS é muito robusto e traz segurança a quem produz alimentos, faz a distribuição e, principalmente, aos consumidores. No Brasil, é muito utilizado pelos principais frigoríficos, pela indústria de laticínios e outros segmentos. E para o SBC, é uma grande oportunidade de demonstrar o nosso compromisso com segurança, qualidade e legalidade dos alimentos, seguindo uma trilha de melhoria contínua”, explicou Matheus Modolo Witzler, Gerente de Certificações da empresa.   

O Padrão Global da BRCGS para Segurança de Alimentos atende aos critérios da Global Food Safety Initiative do The Consumer Goods Forum (GFSI), que foi criada pela fusão do CIES, o organismo preeminante da indústria alimentar e de bens de consumo, com o Global CEO Forum, e a Global Commerce Initiative (CGI), duas plataformas globais de colaboração entre varejistas e fabricantes. Em outras palavras, é aceito pela maioria das distribuidoras de alimentos como equivalente aos outros padrões de segurança de alimentos, como IFS, SQF e FSSC 22000. 

O treinamento foi realizado no início de abril e reuniu dezesseis auditores que já atuam com GLOBALG.A.P.,SISBOV, certificações dentro das indústrias frigoríficas, orgânico Rainforest Alliance e outros protocolos de certificações. Os profissionais aprenderam mais sobre segurança de alimentos dentro da indústria que processa vários tipos de alimentos. “Inicialmente, nosso objetivo foi capacitar ainda mais nossos auditores, termos profissionais com um nível ainda mais avançado. E darmos à equipe ainda mais tarimba no trabalho dentro das packing house´s, principalmente na manipulação de frutas. Na sequência, desejamos iniciar auditorias internas de BRCGS em conjunto com os protocolos que já certificamos. Mais a frente, a ideia é oferecer a certificação BRCGS por meio de parcerias com certificadoras internacionais que já têm experiência nesta modalidade”, reforça Matheus Witzler.

O treinamento foi ministrado por dois profissionais da empresa Food Design, criada em 1993, com sede na capital paulista, e especializada em treinamento e capacitação em normas e auditorias que abordam gestão da qualidade, integrados ou não com outros sistemas da segurança de alimentos, saúde e segurança ocupacional, e responsabilidade social, exigidos pelo mercado e os clientes. Atua em toda a cadeia produtiva, desde a produção primária de alimentos e ingredientes provenientes da pecuária, agricultura, indústria química, petroquímica ou bioquímica, aditivos, coadjuvantes de fabricação e embalagens.

“Embora a maior parte de nosso público seja a indústria de ingredientes, embalagens e alimentos, a parceria com organismos de certificação nacionais e internacionais é também um de nossos propósitos, pois nos possibilita promover a saúde pública e responsabilidade dentro da cadeia de alimentos. Sinto-me privilegiado em poder contribuir para a formação de mais uma equipe de auditores que poderão servir nosso mercado de maneira consistente e íntegra”, avalia Fernando Henriques, Gerente de Vendas e Operações e um dos que comandaram o treinamento. A Food Design analisa todos os itens da produção de alimentos com foco no Codex Alimentarius, programa da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), criado em 1963 com o objetivo de estabelecer normas internacionais na área de alimentos, incluindo padrões, diretrizes e guias sobre Boas Práticas e de Avaliação de Segurança e Eficácia, que protejam a saúde dos consumidores e garanta práticas leais de comércio entre os países. 

O treinamento foi realizado na modalidade virtual por causa das exigências de segurança envolvendo a pandemia da Covid-19. O SBC é uma certificadora líder no protocolo SISBOV, atuando em 30% do mercado brasileiro de fazendas certificadas, incluindo grandes projetos pecuários e renomadas empresas do setor. Também é acreditada ISO/IEC 17065 para o protocolo GLOBALG.A.P. para os escopos de frutas, vegetais e grãos, além de realizar auditorias internas de rebanhos bovinos e de protocolos particulares, como uso de energia renovável em indústrias e auditorias em frigoríficos. “Nosso plano é oferecer sempre mais conhecimento para os nossos auditores e técnicos. O SBC tem um olhar cada vez mais centrado dentro da indústria. É para isto que estamos qualificando nossos auditores nas normas de proteção alimentar mais conhecidas no mundo”, concluiu Matheus Modolo Witzler.

O treinamento virtual reuniu 16 auditores do SBC