(14) 3814-3272
  • Português
  • English
  • Español

Notícias

SBC e Abrafrutas: segundo ano de parceria para ajudar o produtor brasileiro

Serviço Brasileiro de Certificações abre possibilidades para fruticultores que desejam mais espaço no Brasil e querem participar do exigente mercado de exportações

Oferecer a experiência de ser acreditada para o protocolo GLOBALG.A.P., presente em mais de 160 países, sendo mais de duzentos mil produtores somente em frutas. Atuando ao lado da entidade brasileira mais representativa do segmento, como única certificadora vinculada à Associação Brasileira de Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), entidade que detém aproximadamente 85% do volume total das frutas frescas exportadas pelo Brasil e congrega 73 membros, entre os setores de embalagens específicas, transportes, irrigação, sindicatos rurais, serviços aduaneiros, tecnologia da informação, sucos concentrados e produtores de mamão, laranja, abacate, limão, melancia, atemoia, manga, uva, laranja, kiwi, maçã, lichia, maracujá, figo, caqui, goiaba, açaí, acerola, caju, cupuaçu, muruci, taperebá, camu-camu, avocado, tangerina, abacaxi, banana, coco e gengibre.

O Serviço Brasileiro de Certificações (SBC) terminou 2019 com uma carteira de 23 clientes/produtores certificados no GLOBALG.A.P. para exportar aos exigentes mercados internacionais de frutas e grãos. E a empresa quer atingir pelo menos sessenta produtores até o fim de 2020, alcançando cerca de 17% do mercado total brasileiro. “Nossa entrada na Abrafrutas teve o objetivo central de estar ao lado da entidade para todas as demandas de certificações e disponibilizar aos fruticultores nossa experiência em auxiliar o campo a oferecer ao mercado produtos que atendam a todas as modernas exigências do consumidor atual. Estamos ligados ao mercado de frutas e legumes que esses produtores buscam e poderemos abrir essa grande porta de entrada para eles”, reforçou Matheus Modolo Witzler, responsável pelo GLOBALG.A.P. do SBC.

A empresa mantém uma equipe de 35 colaboradores, operando no setor administrativo, técnico, financeiro, treinamento e suporte ao sistema. Oferece, ainda, estrutura de plantão 24 horas para sistemas e suporte técnicos. A equipe de auditores conta com 50 profissionais altamente capacitados, espalhados pelos principais estados produtores do Brasil, sendo frequentemente treinados para seguir as normas de trabalho definidas em cada protocolo de produto e fazendo as adequações permitidas de acordo com cada certificação. Além do contato direto com os clientes, o SBC pretende construir novas formas de relacionamento e parcerias com outras entidades de classe, que representam os produtores de frutas e legumes, para entender suas necessidades e propiciar uma relação comercial que traga ganhos e benefícios aos negócios dos agricultores. 

Matheus Witzler ainda informou que o SBC vem atuando no sentido de informar e tranquilizar os produtores diante do panorama de turbulência causado pela pandemia de Coronavírus. O SBC mantém relacionamento direto com grandes empresas internacionais que atuam na cadeia, como o próprio GLOBALG.A.P., e os agentes estão atuando para manter  a comercialização e as exportações, analisando situações mais específicas de cada fornecedor, ponderando questões como isenções provisórias, parcelamento de cobranças, e aprovando as auditorias remotas. “O setor de frutas é um universo gigantesco e que pode seguir em frente, com foco para os processos não pararem, os agricultores manterem seus negócios, com margem, e, principalmente, abastecendo a população no Brasil e no exterior, com saúde e segurança”, apontou o executivo.

A fruticultura brasileira é praticada em 2,4 milhões de hectares e emprega diretamente seis milhões de pessoas. O País é o terceiro maior produtor mundial, mas só embarca ao exterior 2,5% deste total, faturando pouco mais de um bilhão de dólares. São aproximadamente quinhentos produtores brasileiros certificados GLOBALG.A.P. e que podem atender ao exigente mercado da União Europeia com a mais importante certificação internacional de Boas Práticas Agrícolas para exportação de frutas, legumes e verduras. Matheus Witzler frisa que os processos para adotar as normas pedidas pelos protocolos são simples, objetivos, de fácil compreensão, renovados anualmente e com custo adequado às margens do negócio, normalmente marcado por pequenas propriedades e um número reduzido de colaboradores.

O Brasil viveu um momento especial nas vendas externas até março. As exportações atingiram, no ano passado, US$ 1,018 bilhão, um crescimento de 6% em valor e 16% em volume sobre 2018. Os países árabes foram os que mais cresceram como parceiros e, dentre as frutas que se destacaram, estavam a banana, o mamão e a melancia, conquistando novos consumidores em países do Mercosul e da Europa. A China, maior produtora e maior mercado mundial do segmento, começou a importar melão brasileiro e prometeu iniciar até o fim deste ano a compra de nossas uvas. Também foi aberta negociação para a exportação de uva para a Coreia do Sul e de abacate para os Estados Unidos.

“Em 2020, o SBC vai se consolidar como um elo ainda mais forte da cadeia de frutas, ajudando na conexão entre os produtores rurais brasileiros e os mercados que demandam seus produtos. E nossa expertise em atuar como certificadora GLOBALG.A.P. abrirá portas muito interessantes para os clientes”, ressalta Matheus.

O SBC também vem desenvolvendo, ao lado da Abrafrutas, o protocolo de certificação ‘Frutas do Brasil’, projeto cujo objetivo é mostrar que o País é provedor de frutas doces e saborosas o ano inteiro, apoiando os exportadores na busca pela ampliação dos negócios, abertura de novos mercados, promoção do reconhecimento e diferenciação das frutas brasileiras, além de estimular o aumento no consumo. O SBC vai auditar os produtores que desejarem aderir ao protocolo. “Será mais uma ferramenta de profunda ligação com os produtores. Com o passar do tempo, eles serão reconhecidos como autoridades quando o assunto for certificação, exportação de frutas e legumes, qualidade do alimento, segurança para os consumidores e clientes de todo o Planeta”, concluiu Matheus Modolo Witzler.

Fruta Brasileira – 2,4 milhões de hectares cultivados e emprego para seis milhões de pessoas